Hemostasia

Hemostasia é a resposta fisiológica normal do corpo para a prevenção e interrupção de sangramento e hemorragias. A Hemostasia resulta no bloqueio de qualquer lesão vascular. De maneira geral, a Hemostasia garante a fluidez do sangue e a integridade dos vasos sanguíneos. Anormalidades na Hemostasia podem resultar em sangramento (hemorragia) ou na formação de coágulos no sangue (trombose).

Procedimento de três etapas

A Hemostasia consiste em um procedimento com três etapas.

  • Hemostasia primária: 1) contração vascular local (para reduzir o fluxo de sangue no local da lesão), 2) formação de um tampão plaquetário.
  • Hemostasia propriamente dita ou coagulação do plasma envolvendo interações entre diversos fatores e inibidores.
  • Fibrinólise: um processo que remove o coágulo quando a integridade do vaso sanguíneo estiver restaurada.

Hemostasia primária

Quando houver uma lesão no vaso sanguíneo, a primeira prioridade (Hemostasia primária) é "formar tampão" nessa lesão (neste extravasamento). Os principais atuantes do sangue são as plaquetas e o fibrinogênio, que reagem juntos e interrompem o extravasamento pela formação de um tampão de plaquetas.

Figura 1: Formação do coágulo. (Fonte: “Introduction à l'étude de l'hémostase et de la thrombose” - B. Boneu, J-P. Cazenave - 1997). O sangramento no local da lesão vascular é interrompido pela formação de um coágulo extravascular. Uma lesão provoca uma vasoconstrição temporária de pequenos vasos sanguíneos, reduzindo o fluxo de sangue. As plaquetas aderem ao tecido subendotelial no local da lesão e, por fim, se agregam juntas. O início da coagulação leva à formação de fibrina, que ajuda a estabilizar esse coágulo e interrompe o sangramento.

Brêche = Ruptura
Epanchement sanguin = extravasamento
Aggrégation plaquettaire = Agregação plaquetária
Adhésion plaquettaire = Adesão plaquetária
Activation de la coagulation = Ativação da coagulação
Fibrine = Fibrina

Após essa primeira etapa, a formação de um coágulo (coagulação) interrompe qualquer sangramento futuro (Hemostasia secundária). Esse processo consiste em uma série de reações químicas que envolvem diversos componentes do plasma. Até o momento, sabe-se que dez fatores de coagulação importantes estão envolvidos nesse processo. Essas interações complexas levam à transformação de uma proteína solúvel, o fibrinogênio, em uma proteína insolúvel, a fibrina, que forma a estrutura do coágulo. A cicatrização da ferida por fim encerra essa ligação e a fibrinólise dissolve o coágulo.

Anormalidades na coagulação

Problemas de coagulação são diagnosticados por exames laboratoriais de coagulação do sangue, seja utilizando um teste global (tempo de coagulação), um teste analítico (que analisa, especificamente, os diferentes componentes da coagulação) ou por "hemograma" (quantidade de hemoglobina e número de glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas por milímetro cúbico de sangue).

Alguns desses exames também podem ser usados para medir o efeito da terapia com anticoagulante para tratar ou reduzir o risco de trombose. A atividade da Diagnostica Stago envolve desenvolver e projetar equipamento e diferentes métodos de teste utilizados no laboratório para medir e possibilitar uma melhor compreensão da coagulação/Hemostasia.

Topo